Q28 | Cesgranrio 2010, Engenheiro de Petróleo | Guia do Engenheiro de Petróleo

Q28

Nos reservatórios de petróleo, os principais mecanismos de produção são o influxo de água, o gás em solução, a capa de gás, a segregação gravitacional ou uma combinação destes. Nessa situação, afirma-se que

(A) o mecanismo de gás em solução se caracteriza, principalmente, por ser possível, no processo exploratório da jazida, a obtenção de valores elevados de recuperação do óleo em relação ao volume de óleo original.
(B) no mecanismo de gás em solução, quando os poços são colocados em produção, normalmente há um declínio acentuado na pressão do reservatório, causando uma excessiva liberação de gás no reservatório que resulta num crescimento rápido da razão gás-óleo.
(C) nos reservatórios de capa de gás, é recomendado que sejam canhoneadas as zonas de óleo e de gás e abertas ao fluxo em conjunto.
(D) uma das características marcantes do influxo de água, como mecanismo de produção, é o baixo valor que se consegue obter do fator de recuperação de hidrocarbonetos.
(E) para aumentar o fator de recuperação de óleo nos poços que drenam reservatórios com influxo de água atuante, é recomendado que o intervalo canhoneado se estenda até abaixo da interface do contato óleo-água.

Ver Solução
  • Alison Pagung

    Alguns conceitos diferentes ajudam nessa questão:

    Uma vez identificado o mecanismo de produção do reservatório, se trabalha para maximizar sua atuação no reservatório (não canhoneando a zona do mecanismo, não produzindo o fluido do mecanismo, etc.). O foco será a zona produtora do fluido que caracteriza o reservatório (se óleo, o foco é a zona onde o óleo está acumulado).
    Outra coisa importante: Sempre evitar ao máximo as interfaces entre o mecanismo e o fluido de interesse. Caso seja capa de gás, a interface tende a descer com o tempo (o gás vai saindo de solução e há uma certa expansão também do gás livre já existente), então quanto mais abaixo se puder canhonear e produzir, melhor (caso haja influxo de água também, deve-se ponderar a melhor profundidade para produzir por mais tempo sem atingir alguma das interfaces). Caso seja influxo de água, a interface tende a subir com o tempo, logo, quanto mais acima se puder canhonear e produzir, melhor. A observação anterior também é válida, para caso tenha capa de gás também.

    Só nisso já elimina C e E.

    Quando se tem gás em solução em quantidade considerável, a única certeza é que esse gás tenderá a sair de solução com a produção, o que terá dois efeitos: Aumento significativo do RGO e perda “rápida” de pressão no reservatório, fazendo com que o FR seja reduzido, sendo ainda o volume de óleo recuperado muito menor do que o original, pois a tendência é de maior produção de gás.

    Disso eliminamos A e confirmamos a B.

    Por fim, tendo em mente que o mecanismo influxo de água é o mais eficiente dentre os citados e seu FR é alto, eliminamos a D.

    Letra B.

  • LuvaNegra

    Se não me falha a memória, 30% é obtido justamente com influxo de água que é o melhor método dentre os citados.

  • Eu

    A- Baixa recuperação, < 20%
    produção de água praticamente nula

    Fonte: Thomas

  • Jrog

    A-Falsa, para esse mecanismo a recuperação gira em torno de 30%.
    B-Verdadeira.
    C-Falsa, não, se isso acontecer o gá perde a capacidade de empurrar o óleo.
    D-Falsa, é o alto valor de recuperação.
    E-Falsa, se isso acontecer vai produzir água.