Q24

O ensaio Jominy é um dos mais empregados para definir a temperabilidade de um aço. O gráfico abaixo apresenta o resultado do ensaio Jominy em três aços distintos.

Após . . . → Abrir Q24

Q25

Dois metais A e B apresentam um diagrama de equilíbrio de fases à pressão de uma atmosfera, como apresentado abaixo.

Em relação ao que é apresentado no diagrama, considere . . . → Abrir Q25

Q26

Aços inoxidáveis possuem grande quantidade de cromo como elemento de liga, podendo ser produzidos como aços austeníticos, ferríticos e martensíticos. Sob determinadas condições de tratamentos térmicos, o cromo causa a . . . → Abrir Q26

Q27 e Q28

Considere o diagrama de equilíbrio de fases do sistema ferro-carbono apresentado a seguir, com valores aproximados das concentrações de carbono dos principais pontos e sem as indicações das fases presentes, . . . → Abrir Q27 e Q28

Q29

Um aço com 0,4% em massa de carbono é aquecido na região bifásica e resfriado muito rapidamente em água com sal. A microestrutura observada no microscópio ótico é constituída de . . . → Abrir Q29

Q30

Um aço ao carbono foi tratado termicamente num forno com atmosfera descarbonetante por 1 hora a 600 oC. Após o tratamento térmico, observou-se uma profundidade de descarbonetação de 0,223 mm. . . . → Abrir Q30

Q31

A curva TTT representa uma transformação de fase, ou mais de uma, em função da temperatura e do tempo. Essa curva é obtida através de tratamentos isotérmicos. No caso dos . . . → Abrir Q31

Q32

Aços de construção mecânica são ligas de ferro e carbono com adição de elementos de liga capazes de aumentar a resistência mecânica pela precipitação de carbonetos ou pelo aumento da . . . → Abrir Q32

Q33

A Figura abaixo apresenta um diagrama TTT (Transformação – Temperatura – Tempo) de um aço com quatro propostas distintas de resfriamentos iniciados de uma mesma temperatura de austenitização e numerados . . . → Abrir Q33

Q34

A transformação martensítica gera uma fase metaestável nos aços, a qual apresenta propriedades mecânicas muito especiais. Em relação às características presentes nas transformações martensíticas, considere as afirmativas a seguir. I . . . → Abrir Q34

Q35

Os tratamentos térmicos dos aços dependem fortemente da adição de solutos capazes de aumentar o campo austenítico ou o campo ferrítico e de precipitar carbonetos. Para aumentar o campo austenítico . . . → Abrir Q35

Q36

A temperatura de austenitização de aços hipo-eutetoides está diretamente associada à linha A3 (ou Ae3) do diagrama de equilíbrio de fases do aço. O aço que apresentará a menor temperatura . . . → Abrir Q36

Q37

Aços inoxidáveis duplex são uma categoria muito especial de aços inoxidáveis de grande aplicação na indústria do petróleo por apresentarem excelente resistência à corrosão. A microestrutura desses aços é constituída . . . → Abrir Q37

Q38

Diversos compósitos têm sido empregados pela indústria na construção de plataformas marítimas e nos sistemas de extração de petróleo. O compósito que envolve a participação de uma matriz polimérica e . . . → Abrir Q38

Q39

Ensaios de tração são relativamente simples de serem realizados e permitem uma avaliação extremamente interessante das propriedades de um material. Os resultados de um ensaio de tração para três materiais . . . → Abrir Q39

Q40

A fabricação de fornos para temperaturas acima de 800 oC requer o uso de metais resistentes na região quente do forno. A seguinte liga de metais pode ser empregada nessa . . . → Abrir Q40

Q41

Aços de baixa liga (quantidade total de solutos menor que 5% em massa) contendo teores mais elevados de fósforo ou antimônio são particularmente suscetíveis a um tipo de falha resultante . . . → Abrir Q41

Q42

Fluência é um fenômeno extremamente importante para equipamentos mantidos em temperaturas elevadas, tais como, por exemplo, caldeiras e turbinas a gás. O principal parâmetro de engenharia obtido de um ensaio . . . → Abrir Q42

Q43

Um determinado material empregado na fabricação de dutos para o transporte de água industrial apresentou corrosão por pites quando os dutos começaram a operar. A temperatura de transição dúctil-frágil pode . . . → Abrir Q43

Q44

Um determinado material empregado na fabricação de dutos para o transporte de água industrial apresentou corrosão por pites quando os dutos começaram a operar. Para solucionar o problema, os engenheiros . . . → Abrir Q44

Q45

A curva experimental de polarização potenciodinâmica de uma amostra temperada do aço inoxidável martensítico UNS S41000, obtida por um engenheiro, em pesquisa de mestrado em 1995, está apresentada na Figura . . . → Abrir Q45

Q46

A fratura intergranular é caracterizada pela propagação

(A) por clivagem e com alta absorção de energia (B) por dentro dos grãos e com baixa absorção de energia (C) ao longo . . . → Abrir Q46

Q47

O diagrama de Pourbaix do sistema Cromo-H2O está apresentado na Figura abaixo.

Esse diagrama é muito empregado para estabelecer as condições de corrosão do cromo quando imerso em um . . . → Abrir Q47

Q48

A sensitização de aços inoxidáveis austeníticos é um fenômeno que ocorre durante a soldagem ou o tratamento térmico desses aços. Esse fenômeno está associado à

(A) precipitação de carbonetos M3C . . . → Abrir Q48

Q49

A corrosão galvânica está presente nas mais diversas condições industriais em que se realiza contato elétrico entre dois metais distintos em um meio eletrolítico. Alguns contatos elétricos típicos são: zinco . . . → Abrir Q49

Q50

Um aço inoxidável austenítico foi empregado para a fabricação de um reator contendo uma solução aquosa com concentração apreciável de NaCl. Após alguns meses de produção, o reator apresentou corrosão . . . → Abrir Q50

Q51

A corrosão por pites é responsável por um quarto de todas as perdas industriais por corrosão.

Dentre as características desse tipo de corrosão, encontra-se a de

(A) apresentar uma taxa . . . → Abrir Q51

Q52

A Figura abaixo apresenta uma barra de seção reta quadrada, com lado de 1 cm e comprimento de 10 cm, submetida a uma tração de 4800 N.

Sabendo-se que . . . → Abrir Q52

Q53

Uma viga de 2 m de comprimento e 500 ton está apoiada pelas extremidades em duas pilastras. Essas pilastras são de um material metálico com seção reta quadrada, e o . . . → Abrir Q53

Q54

Um eixo metálico que possui um limite de fadiga de 200 MPa é empregado num sistema mecânico sob um esforço de tensão que varia, segundo uma senoide, com o tempo. . . . → Abrir Q54

Q55

A fragilização por hidrogênio é um dos problemas mais importantes no emprego de diversos materiais metálicos, mas alguns procedimentos podem ser desenvolvidos para evitar essa fragilização. O que se deve . . . → Abrir Q55

Q56

Na terminologia de soldagem, adotam-se, frequentemente, símbolos como, por exemplo, os exibidos na Figura abaixo. Tais símbolos fornecem aos técnicos e soldadores informações fundamentais para o sucesso das operações de . . . → Abrir Q56

Q57

A soldagem é considerada como o mais importante processo de união metálica, apresentando aplicações variadas, que vão desde fabricações simples até estruturas e componentes sofisticados. Em muitas aplicações, a soldagem . . . → Abrir Q57

Q58

Devido às características básicas do ensaio, líquidos penetrantes possuem grande aplicação em produtos metálicos e não metálicos. Líquidos que contenham enxofre em sua composição química, porém, NÃO devem ser adotados . . . → Abrir Q58

Q59

Zona termicamente afetada (ZTA) é a região da junta soldada que não se fundiu, mas que teve sua microestrutura e propriedades alteradas pelos ciclos térmicos de aquecimento e resfriamento durante . . . → Abrir Q59

Q60

Descontinuidades de soldagem podem ser definidas como falta de homogeneidades física, mecânica ou metalúrgica na junta soldada, não sendo, porém, consideradas necessariamente defeitos. A descontinuidade metalúrgica que apresenta a definição . . . → Abrir Q60

Q61

A principal finalidade do ensaio por ultrassom (US) é a detecção de descontinuidades internas através da introdução de um feixe ultrassônico que, introduzido numa direção favorável e refletido pela descontinuidade, . . . → Abrir Q61

Q62

Aços carbono são utilizados em muitas aplicações industriais, em operações de soldagem, em função de suas variadas propriedades.

Como características de soldagem, tem-se a(o)

(A) soldabilidade idêntica de aços hipo . . . → Abrir Q62

Q63

Um aço carbono ligado (0,5% C, 3% Ni e 5% Cr) será soldado a um outro inoxidável (Creq = 32% e Nieq = 10%) pelo processo TIG com metal de . . . → Abrir Q63

Q64

Ensaios radiográficos têm larga aplicação na indústria, permitindo a detecção de descontinuidades através de modificações na radiação ocasionadas por absorção pela matéria e passagens por descontinuidades. Tal técnica, porém, NÃO . . . → Abrir Q64

Q65

Apesar de todos os modernos métodos de ensaios não destrutivos, o ensaio visual continua sendo muito utilizado, devido à sua simplicidade. No ensaio visual, destaca-se que a(o)

(A) lupa é . . . → Abrir Q65

Q66

A microestrutura da região de uma solda a arco de duas placas laminadas de aço de baixa liga, na condição normalizada, contendo 0,3% de carbono, apresenta regiões com morfologias e . . . → Abrir Q66

Q67

As leis do magnetismo estão presentes no ensaio não destrutivo de partículas magnéticas, o que permite a indicação de descontinuidades em equipamentos. Nesse contexto, verifica-se que esse ensaio

(A) se . . . → Abrir Q67

Q68

Ensaios não destrutivos são técnicas aplicadas a materiais, equipamentos e estruturas com o objetivo de avaliar propriedades, desempenho e integridade sem comprometer suas futuras aplicações. A sequência das etapas associadas . . . → Abrir Q68

Q69

Lingotes fundidos no estado bruto possuem variações microestruturais que estão associadas a zonas distintas conhecidas como zonas equiaxial central, colunar e equiaxial superficial.

Em relação a essas três zonas distintas, . . . → Abrir Q69

Q70

O aço possui relativa homogeneidade química enquanto líquido, mas por causas distintas, quando sólido, apresenta variadas heterogeneidades físicas e químicas que vão de vazios até inclusões, conforme exemplificado na Figura . . . → Abrir Q70

Q21

O ar é uma mistura de gases de composição definida que pode ser tratada como uma substância pura, desde que haja apenas uma fase presente. Nesse caso, seu estado de . . . → Abrir Q21

Q22

A primeira lei da termodinâmica para uma mudança de estado num sistema estabelece que, quando um sistema passa por uma mudança de fase, a energia pode cruzar a fronteira

(A) . . . → Abrir Q22

Q23

Existem dois enunciados clássicos da segunda lei da termodinâmica. O enunciado de Clausius está relacionado com o

(A) motor térmico e estabelece que “É impossível construir um dispositivo que opere . . . → Abrir Q23

Q24

A simplicidade do modelo de gás perfeito faz com que este seja utilizado nas análises termodinâmicas sempre que possível. Para verificar se é razoável modelar a substância analisada como um . . . → Abrir Q24

Q25

Um motor opera segundo o ciclo de Carnot e entre reservatórios de 340°C e 50°C. O rendimento térmico desse motor corresponde a

(A) 0,15 (B) 0,47 (C) 0,65 (D) 0,75 . . . → Abrir Q25

Q26

A Figura acima ilustra dois bocais, um em escoamento subsônico e o outro em escoamento supersônico. Nos dois escoamentos, a velocidade V, a entalpia h, a pressão p e . . . → Abrir Q26

Q27

Na maioria das aplicações de engenharia, o escoamento em tubos circulares é considerado laminar se o número de Reynolds for menor do que N, e é considerado turbulento se o . . . → Abrir Q27

Q28

Uma equação dimensionalmente homogênea com sete variáveis pode ser reduzida a produtos adimensionais independentes, utilizando-se o teorema de Buckingham para termos pi. Se o número mínimo de dimensões básicas necessárias . . . → Abrir Q28

Q29

Para um determinado fluido com peso específico de 12.000 N/m3, uma diferença de pressão de 4.800 Pa corresponde a uma altura de carga, em metros, de

(A) 0,4 (B) 2,5 . . . → Abrir Q29

Q30

A viscosidade cinemática é uma grandeza que envolve somente

(A) força e tempo (B) força e comprimento (C) força e energia (D) comprimento e tempo (E) comprimento e energia

Ver . . . → Abrir Q30

Q31

A tensão normal admissível a ser utilizada no projeto das barras AB e BC da estrutura mostrada na Figura abaixo é de 200 MPa.

Se a área da seção . . . → Abrir Q31

Q32

Um eixo de seção transversal circular está sujeito a um torque e a uma força axial de compressão. Em um ponto da superfície desse eixo atua um estado plano de . . . → Abrir Q32

Q33

O momento fletor atuante na seção transversal de uma viga isostática sob flexão depende do(a)

(A) carregamento atuante na viga (B) material da viga (C) momento de inércia de área . . . → Abrir Q33

Q34

A seção transversal de uma viga sob flexão simples é a de um perfil I, conforme mostrado na Figura abaixo.

Se o momento fletor M e a força cortante . . . → Abrir Q34

Q35

O módulo de resistência à flexão de uma viga é uma grandeza que depende do(a)

(A) momento de inércia de área da seção transversal da viga (B) módulo de elasticidade . . . → Abrir Q35

Q36

A um elevador de carga em movimento descendente é aplicado o freio que provoca desaceleração constante até sua parada. Considere que o módulo da desaceleração seja a, e que g . . . → Abrir Q36

Q37

Para que uma partícula de massa m descreva uma trajetória circular de raio R com velocidade de módulo constante, é necessário que seu vetor aceleração tenha

(A) módulo variável . . . → Abrir Q37

Q38

Um bloco de massa m é transportado por um veículo que possui aceleração a, conforme indicado na Figura abaixo.

Se a massa m é de 25 kg, o coeficiente . . . → Abrir Q38

Q39

O momento de inércia de massa de um corpo rígido em relação a um determinado eixo depende da(o)

(A) resistência mecânica do corpo (B) aceleração a que o corpo se . . . → Abrir Q39

Q40

O mecanismo manivela-biela-pistão mostrado na Figura abaixo movimenta-se quando a manivela OA gira com velocidade angular ω constante.

No instante mostrado, a aceleração do pistão possui

(A) módulo igual . . . → Abrir Q40

Q41

Dentre os mecanismos para o aumento da resistência mecânica dos metais e de suas ligas, tem-se o encruamento. O endurecimento do material, nesse mecanismo, é causado por

(A) deformação a . . . → Abrir Q41

Q42

Em um diagrama de fases, a reação peritética de uma liga metálica define-se como uma reação trifásica na qual, durante o resfriamento,

(A) uma fase sólida se transforma em duas . . . → Abrir Q42

Q43 e Q44

O Diagrama Fe-C refere-se às questões de nos 43 e 44.

43 Para o Diagrama Fe-C da ilustração, a liga apresentará sua composição eutética com o teor de carbono . . . → Abrir Q43 e Q44

Q45

A análise das vibrações ocorrentes em um motor instalado sobre uma base elástica é realizada por meio de um modelo físico com três graus de liberdade – um de translação . . . → Abrir Q45

Q46

Um motor, cuja massa vale 20 kg, ao operar a 1.200 rpm entra em ressonância. Sendo esse sistema representado por um modelo de um grau de liberdade, e desprezando-se os . . . → Abrir Q46

Q47

Uma das bombas mais empregadas nas instalações hidráulicas é a bomba centrífuga radial. O anel de desgaste dessa bomba

(A) aumenta a viscosidade do fluido em escoamento. (B) aumenta a . . . → Abrir Q47

Q48

Vapor entra na turbina representada na Figura acima. Essa turbina opera em regime permanente com um fluxo de massa de 2 kg/s. Sabendo-se que (h1-h2) = 900 kJ/kg, e . . . → Abrir Q48

Q49

Ao contrário dos compressores dinâmicos, os compressores volumétricos utilizam a redução de volume como forma de aumentar a pressão. Um exemplo de compressor dinâmico é o compressor

(A) axial (B) . . . → Abrir Q49

Q50

O rendimento volumétrico é parâmetro fundamental na interpretação do desempenho dos compressores alternativos para aplicações frigoríficas. Há o rendimento do espaço nocivo e o real. O rendimento volumétrico real, ηVR, . . . → Abrir Q50

Q51 e Q52

Considere o enunciado a seguir para responder às questões de nos 51 e 52.

Um ciclo de Rankine ideal, que opera conforme a Figura abaixo, possui as seguintes entalpias nos . . . → Abrir Q51 e Q52

Q53

O ciclo Brayton é um ciclo ideal. No ciclo real semelhante àquele ciclo, o efeito das perdas é de requerer uma quantidade de trabalho

(A) maior no compressor e de . . . → Abrir Q53

Q54

O ciclo padrão Brayton é composto por quatro processos, sendo dois isobáricos e dois isoentrópicos. O fluido de trabalho desse ciclo está sempre

(A) em mudança de fase: de líquido . . . → Abrir Q54

Q55

A Figura acima representa um ciclo ideal de refrigeração por compressão de vapor. Com base nessa Figura, pode- -se escrever o coeficiente de eficácia desse ciclo, em função das . . . → Abrir Q55

Q56

A transferência de calor através do vácuo envolve apenas o(s) seguinte(s) mecanismo(s):

(A) condução (B) convecção (C) radiação (D) condução e convecção (E) radiação e condução

Ver Solução

Gabarito: C.

. . . → Abrir Q56

Q57

A Figura abaixo representa um material no qual as superfícies interna e externa estão a 30°C e 12°C, respectivamente. Tal material possui 30 cm de espessura e 0,8 W/m.°C de . . . → Abrir Q57

Q58

Considere a transferência de calor por convecção de uma superfície sólida de área As e temperatura Ts para um fluido com um coeficiente de transferência de calor por convecção h, . . . → Abrir Q58

Q59

Dois motores monocilíndricos, um diesel de dois tempos, e outro à gasolina de quatro tempos, têm o mesmo volume e desenvolvem a mesma pressão média efetiva. Sendo Td o torque . . . → Abrir Q59

Q60

Em um ensaio para medir a emissão de dióxido de carbono, um motor de ignição por centelha, que pode funcionar tanto com gasolina quanto com gás natural veicular (GNV), é . . . → Abrir Q60

Q61

Qual o nome dado aos compostos utilizados, em pequenas concentrações, na composição de tintas a fim de lhes proporcionar uma melhora nas suas características primárias e, por conseguinte, no seu . . . → Abrir Q61

Q62

Um componente sujeito a esforços cíclicos e exposto em meio onde pode ser atacado quimicamente ou eletroquimicamente sofre corrosão

(A) por erosão (B) anódica (C) catódica (D) atmosférica (E) sob . . . → Abrir Q62

Q63

Materiais que atuam sob condições de trabalho a altas temperaturas devem possuir propriedades que garantam, prioritariamente, resistência à

(A) corrosão (B) fadiga (C) erosão (D) fluência (E) fragilização por hidrogênio

. . . → Abrir Q63

Q64

Aços inoxidáveis austeníticos quando expostos, nos processos de soldagem, a temperaturas na faixa de 480°C a 815°C, podem formar carbonetos complexos de cromo, depositados nos contornos de grão, com a . . . → Abrir Q64

Q65

Uma liga endurecível por precipitação de elevada resistência é muito difícil de ser soldada sem que alguma perda de resistência ocorra. Contudo, pode-se adotar alguma medida para minimizar essas perdas, . . . → Abrir Q65

Q66

Como é conhecido o processo de soldagem onde a proteção do arco e da poça de fusão é obtida por um gás ou por mistura de gases ativos?

(A) TIG . . . → Abrir Q66

Q67

Analisando-se o relatório de ensaios de tração de diversos lotes de aço AISI 1020, deseja-se determinar o valor de limite de escoamento que aparece com maior frequência nos ensaios. Para . . . → Abrir Q67

Q68

O ensaio Charpy de três materiais, M, N e P, encontrou como resultado os valores de média e desvio padrão 100 ± 20J, 80 ± 20J e 100 ± 25J, . . . → Abrir Q68

Q69

Um gerador, ao transformar energia mecânica em elétrica, o faz de forma síncrona, isto é, sua velocidade de rotação é proporcional à frequência da força eletromotriz. Nesse sentido, para um . . . → Abrir Q69

Q70

Além da potência ativa P convertida em trabalho mecânico e calor, um motor elétrico de indução consome também a potência reativa Q, necessária à magnetização e que não produz trabalho. . . . → Abrir Q70